Conectar
Para o topo

Wanderley Gil: olhar apurado e sensibilidade

Fotógrafo macaense herdou do pai a paixão pela profissão

Por Isis Maria e Cris Rosa

Agosto é o mês em que se comemora o Dia Mundial da Fotografia (19) e para nós, da Revista Mais Comércio, nada melhor que celebrar essa data homenageando aquele que é conhecido em Macaé pelo olhar crítico e a sensibilidade em contar histórias através de imagens: o fotógrafo Wanderley Gil.

Desde muito novo Gil já se aventurava no laboratório de fotografia do pai – o conhecido fotógrafo Wanderley Silva, perito fotográfico da Secretaria de Segurança Pública – e dividia seu tempo entre brincar e participar das diligências policiais. Foi assim que desenvolveu o olhar apurado e se apaixonou pelo ofício, conhecendo e aprendendo novas técnicas.

Percebendo que o filho tinha talento, Wanderley Silva presenteou Gil com uma câmera Pentax, considerada na época uma das melhores do mercado. Foi o ponto de partida para que ele fotografasse encontros em casa e a partir daí não parasse mais, registrando eventos, festas de aniversários e casamentos.

Foi na década de 70, em um período no Rio de Janeiro, que Leley, como é carinhosamente chamado pelos amigos, despertou para o mundo do fotojornalismo. Passou a comercializar fotos para o Jornal O Dia e trabalhou durante 10 anos na capital. No início dos anos 80, o destino o trouxe de volta à Macaé, onde integrou a equipe do jornal O Século e posteriormente, em 1991, ingressou no jornal O Debate, onde permanece até os dias atuais.

Com a experiência de quem traz na bagagem os ensinamentos aprendidos com o pai e ao longo da vida, Gil consegue capturar a essência do que fotografa com maestria e considera que é fundamental que o fotógrafo esteja sempre atento a tudo que o cerca. “No Jornalismo, digo que é preciso fotografar primeiro e depois perguntar, para que o momento da foto não se perca – que pode ser único e o tempo não volta para que se registre de novo. E a câmera é minha companheira de todas as horas, para eu conseguir pegar lances importantes no dia a dia que irão retratar a nossa realidade”, destaca. Diariamente, Leley sai às ruas de Macaé sempre munido de sua câmera, da qual não se separa nunca.

Para os amigos que fez ao longo da profissão, Gil é inspiração, como destaca o editor de O Debate, José Eduardo Silva: “O Gil é um ícone da fotografia em nossa região. Conhece como poucos os quatro cantos da cidade. É um profissional muito talentoso e competente. Apesar de lutar com alguns problemas pessoais por conta da sua saúde, nunca deixou a câmera fotográfica de lado. Seu olhar é diferenciado. A história recente de Macaé passa por suas lentes. Só tenho a agradecer por poder compartilhar momentos profissionais ao lado de Wanderley Gil”.

A amiga Lena Fernandes também fala com propriedade de quem conhece Gil há mais de 20 anos. “É fácil falar do Gil, ou melhor, do Leley. Comecei a trabalhar com ele em 1996, aquela figura imponente, cabelo comprido. Nessa época eu já conhecia a família dele. Os meus pais moravam no mesmo prédio que a mãe dele, então nós éramos vizinhos e ao mesmo tempo trabalhávamos juntos. O que me chama a atenção nele é a disponibilidade. Ele às vezes está quietinho, fazendo um trabalho e escuta uma frase ‘vamos fazer isso’ e já corre atrás, busca a foto, dá ideias. Todos os trabalhos em que eu estive envolvida e precisei do apoio dele, seja para ir à rua fazer uma cobertura ou uma edição especial, tanto um trabalho comercial ou uma peça publicitária, ele sempre esteve à disposição, sempre comprou as ideias, sempre acrescentou. Sempre trazia algo novo para agregar. E mais, conhece todo mundo, tem sensibilidade e se relaciona com todas as tribos, seja no meio político, social, empresarial, o que enxergo como um diferencial gigante. O Gil reúne características fundamentais que fazem com que o projeto seja mais profissional, cuidadoso, criterioso. Tenho grande admiração e muito respeito pelo trabalho dele e pelo ser humano que ele é”, destaca.

A natureza como paixão

Além do fotojornalismo, as paisagens são a outra paixão na vida de Gil, que dedica algumas horas até nos fins de semana para registrar a natureza e seus encantos. Uma parte deste acervo está sendo exibido na exposição “Arquipélago de Sant’Anna”, que acontece até o dia 31 de agosto no Restaurante e Pizzaria do Mirante, no Mirante da Lagoa.

A mostra consta de 15 belas obras sobre o Arquipélago de Sant’Anna, todas capturadas ao amanhecer no período entre 2011 e 2015. A exposição tem curadoria do artista plástico Rui Jorge (Jojó).

Foto: Arquivo Wanderley Gil

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais em Mais comércio